Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Audaciosamente

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

 
 
Desde tempos em que nadava no “corgão” do Cedro e escalava pés de ingás, que eu gostava de ficção científica. O inusitado dessa declaração esdrúxula é mesmo para mostrar as facetas incongruentes do que isso representa para mim.

Enquanto subia nas árvores, imaginava-as naves espaciais e ao mergulhar nas águas do “corgão” imaginava-me no fundo do mar. Daí, meus contemporâneos podem imediatamente remeter-se às séries Jornada nas Estrelas (“Star Trek”) e Viagem ao Fundo do Mar (“Voyage to the Bottom of the Sea”).

A grande verdade é que ficção científica sempre me atraiu. Não apenas as duas séries citadas despertavam minha atenção, mas também outras séries e filmes, além das leituras que fiz de autores como Eric Arthur Blair, mais conhecido como George Orwell (autor do livro 1984); de Isaac Asimov (o mestre dos robôs) e de Arthur C. Clark (2001: Uma odisseia no espaço).

Filmes como a sequência de Star Wars e O Exterminador do Futuro também fizeram minha cabeça. Mas hoje quero falar especialmente de Jornada nas Estrelas. Com o lançamento do último filme em 2009, o interesse mundial pela série retornou. Para quem sempre foi “trekker”, como eu, esse interesse sempre existiu. Mas nos sentimos melhor ao ver que sempre estivemos indo audaciosamente aonde ninguém nunca foi em nosso interesse.

O filme Star Trek (2009) traz um enredo interessante, onde um romulano renegado chamado sugestivamente de Nero volta ao século 23 de forma acidental e tem a chance de destruir Vulcano (planeta do Spock) e de impedir que Romulus seja destruído no século 24. Some-se a isso o detalhe de que Nero deseja se vingar de Spock, a quem culpa por não ter impedido a destruição de seu mundo. Quando chega no ano 2233, Nero destrói a USS Kelvin e provoca a morte de George Kirk, pai de James T. Kirk. Isso causa uma alteração na linha do tempo e cria uma nova realidade. Porém, Spock também volta no tempo e tenta ajudar James Kirk. Assim, vê-se o surgimento da tripulação da Enterprise, e como eles se reúnem na primeira missão, que é deter o temível romano, quer dizer, romulano Nero.

O filme Jornada nas Estrelas até agora tem despertado um grande interesse da mídia e do público, mesmo com um concorrente contemporâneo de peso no mesmo gênero, que é um dos filmes mais lucrativos da história do cinema: Avatar.

Isso mostra a atração que Jornada nas Estrelas ainda possui. A Wikipedia relata que “Star Trek é uma indústria multibilionária, hoje de propriedade da CBS. Ao criar o universo ficcional, Gene Roddenberry pretendeu contar histórias sofisticadas usando situações futurísticas como analogias para problemas atuais na Terra. A linha de abertura da série original, ‘Audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve’, foi inspirada, quase integralmente, de uma brochura da Casa Branca acerca do espaço, produzida após o lançamento do Sputnik, em 1957. O trio central da narrativa, Kirk, Spock e McCoy, foi moldado conforme padrões mitológicos. Roddenberry incluiu uma tripulação multi-étnica, aludindo à diversidade humana e a circunstâncias políticas da época.

Star Trek e seus sub-produtos mostraram-se altamente populares em reprises na televisão e aparecem hoje em canais de TV de todo o mundo. O impacto cultural das séries inclui convenções de fãs e uma subcultura própria.

Considera-se que as séries motivaram o design de muitas tecnologias atuais, como o Tablet PC, o PDA, o telefone celular (lembra o Startac, da Motorola? é baseado no comunicador dos tripulantes da Enterprise) e o exame de ressonância magnética.”
(Fonte: Wikipedia)

Deixo, para finalizar, nesse post, alguns versos:


“Audaciosamente”

Quisera ir para os confins do uni-verso
Audaciosamente
Para buscar o que me completa
Não sou poeta
Sou apenas uma alma repleta
De palavras inconstantes
Que não se contentam em permanecer
Simplesmente quietas dentro de mim

Quisera ir para os confins do uni-verso
O verso que me unirá
Audaciosamente
Ao meu avatar escondido na espaçonave
Enterprise
Entre mim e minha alma não há distância
Apenas ânsia

Quisera ir para os confins do uni-verso
Mas quero ficar aqui mesmo
Em mim mesmado
Atrelado às estrelas no céu
De minha boca que se abre às palavras atrevidas
Que não se deixam esquecidas

James Kirk e Spock são personagens de uma história
Que se confunde com a vida
Audaciosamente
Trazendo a lembrança
De uma criança
Que, nos seus sonhos,
Recusa-se a crescer...
 
The_EDN[2] The EDN, sou industriário, trabalho há 27 anos na Cedro (indústria têxtil centenária de Caetanópolis, MG) e atuo como professor há 24 anos em escolas particulares e públicas.
Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

4 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;