Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

A Irrelevância da Relevância

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

 

O conceito relevância tem sido a tônica do twitter e dos blogs em geral nos últimos tempos, tem sempre alguém discutindo a questão, e parece não haver consenso, difícil dizer ou enumerar quais são os atributos necessários que fazem uma pessoa ou blog ser relevante ou não.

 

 Relevância

 (Imagem: Alexandre Fugita)

 

Peço licença aos autores, e tomo a liberdade de citar um pequeno texto que li no site Digestivo Cultural, para melhor abrilhantar o conteúdo desse post e peço por gentileza, que todos reflitam sobre o texto abaixo:

 

“Optar entre a reta e a curva? Escrever coisas relevantes ou não, fomentar uma possível crise de egos ou não, todas são escolhas. Prefiro a curva à reta, e a diversidade à classificação do que é melhor ou pior. Prefiro o erro à estandardização e entendo que o processo de criação, não raro, é melhor que a própria coisa criada. Que cada qual crie em seu espaço o que entender. Os leitores, mais ou menos qualificados, dirão de suas preferências. Muito presos a esquemas cartesianos, a estéticas normativas e normalizadoras, nos esquecemos de como é imensamente construtivo simplesmente vagar. Somos irrelevantes ou somos relevantes? A que nos obrigamos para sermos uma ou outra coisa? A que renunciamos para escrever deste ou daquele modo, para termos uma ou outra etiqueta de referência em nós mesmos? E, ao fim e ao cabo, valerá a pena?”  [Digestivo Cultural]

Parece que existe uma busca frenética entre blogueiros e tuiteiros para tornar-se relevante, virou uma espécie de “caça ao tesouro” encontrar a tal da relevância.

 

O próprio conceito de relevância é abstrato: “qualidade de relevante; aquilo que se destaca em escala comparativa ou de valores; importância, relevo. “ [dicionário Houaiss]

 

Desde que o mundo é mundo, há sempre alguém buscando [relevância] notoriedade, um conceito relativo que não encontra em nenhuma doutrina um significado ou resposta adequada que atenda aos anseios daquele que a procura.

 

O QUE É RELEVANTE É A CABEÇA - CÉREBRO. O externo é uma metáfora humana. [Bindes Fa]

 

Eu, particularmente, desisti faz tempo de procurar por conteúdos relevantes para publicar, desisti por entender que trata-se de  uma busca em vão, não adianta tentar encontrar fórmulas mágicas ou mirabolantes para se fazer importante, é necessário, antes de tudo, buscar a excelência, ou seja, fazer bem feito aquilo que você se propõe a fazer. Saint Exupery já dizia: […] o essencial é invisível aos olhos.

 

Sendo a relevância subjetiva é natural que aquilo que seja relevante para uns, seja irrelevante para outros. Para mim, agora, relevante é tudo aquilo que satisfaz a minha necessidade em um determinado momento.

 

Gosto sempre de frisar que a preocupação maior de um blogueiro ou tuiteiro, deve ser com seu conteúdo. Independentemente do assunto que tratamos, devemos fazê-lo com a maior dedicação possível. O que nos faz [relevantes] importantes não é somente nosso conteúdo, mas, principalmente, a qualidade do mesmo.

 

Se me permitem dar um conselho, desistam de procurar pela relevância, ela é algo praticamente inatingível. Dediquem-se à qualidade do que vocês produzem, quando menos esperarem estarão sendo chamados de “relevantes”.

 

Para se ter uma ideia, no blog do Interney existe uma lista intitulada: Top 100 blogs brasileiros segundo o Technorati, dos 100 constantes na referida lista, acompanho e leio apenas 2, obviamente que se trata de uma lista formulada em 2007, de lá pra cá provavelmente alguma pode ter mudado, mas mesmo assim, dá para se ter uma boa noção sobre o conceito subjetivo da palavra relevância.

 

Alguns estilos de blogs, para mim, parafraseando um conhecido meu, possuem passagem livre, como: blogs com piadas toscas, blogs com vídeos de qualidade duvidosa, blogs com opiniões sem fundamentação e, principalmente, blogs de pseudo famosos que se acham mais importantes do que realmente são. 

 

Para finalizar, registro que o único tuiteiro mais famoso que sigo é o Cardoso, os demais “famosos”, para mim, são todos descartáveis. Não acho graça alguma as tuitadas dos renomados: Marcelo Tas, Luciano Hulk, Willian Bonner, etc., que são pessoas públicas e notórias. Considero que o interessante do twitter é conhecer novas pessoas, novas ideias e nos depararmos com talentos até então desconhecidos.

Eu indico:

Digestivo Cultural: Jovens blogueiros, envelheçam

Blosque: A Banalização das Coisas

Blog Gigabyte: A evolução relevante dos blogueiros

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor bloguicista.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Siga no Twitter [@jmpsousa].

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

8 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;