Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Ser ou não ser invicioneiro(a)?

terça-feira, 11 de maio de 2010


                                                                    O que você quer ser?

Agradecimento

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer o convite do José Márcio, editor chefe deste blog Os Invicioneiros e dizer que fico muito feliz e lisonjeada em fazer parte desta equipe, e de me juntar aos bons colegas Harley Coqueiro e The Edn, e dar como ele mesmo disse “um toque mais feminino” a este blog. Espero fazer jus a oportunidade que me foi dada, tentarei fazer o melhor, mas me perdoem já se eu ficar devendo algo, toda estreia dá um friozinho na barriga, rs

Agora vamos ao tema do post

Pensei exatamente nesta pergunta que é o título deste post quando recebi o convite do José Márcio,  e no momento que pensei isso me deparei com esta frase na página inicial do blog Os Invicioneiros:

“Ser ou não ser um invicioneiro, eis a questão!”

Uma das primeiras coisas que aprendi na vida é que antes de você entrar para uma empresa ou grupo de trabalho, deve-se tentar conhecer um pouco da empresa, entender como ela funciona, ou saber quem são as pessoas que estão envolvidas ali. Então a primeira coisa que fiz foi olhar o que dizia a página “sobre” e lá encontrei o seguinte:

Os Invicioneiros

Blog com conteúdo diversificado para os amantes da boa leitura.

A palavra Invicioneiros é uma derivação da palavra invição, que é um substantivo feminino singular utilizado no Norte, Noroeste e Nordeste de Minas Gerais que significa ambição e ganância.


Então pensei que seria interessante falar dessa questão de ser ou não ser invicioneiro(a), investigar se sou ou não uma invicioneira. Se analisarmos bem, acho que todos nós temos um pouco de invicioneiro dentro de si, pois todos somos ambiciosos e gananciosos de alguma maneira, uns mais outros menos.

Mas a grande questão é que algumas palavras por terem uma conotação mais pejorativa na sociedade acabam servindo para rotular pessoas de mau caráter e/ou desonestas, fato este que muitas vezes limita e distorce os seus reais significados por simples convenção social, até porque a  linguagem não é estática, passa-se a dar outros sentidos para uma mesma palavra. 

Um grande exemplo da “distorção de sentido” é a palavra “vulgar” que tem hoje uma conotação pejorativa, mas se investigarmos o seu real significado ela define pessoas e situações comuns, tudo que é popular, trivial, comum na sociedade pode ser considerado vulgar. E como na nossa cultura convencionou-se que tudo que é conhecido demais, ou comum a muita gente pode ser algo ruim, por não ser algo restrito, eletista nem segmentado então ser vulgar é sinônimo de baixeza e coisa deplorável. Assim como vulgar outras palavras também podem ter seu significado relativo, precisamos entender o contexto que elas se inserem, antes de sair repetindo velhos discursos que podem não ter muito sentido.

Vejamos alguns significados:

Ganância - É um sentimento humano que se caracteriza pela vontade de possuir somente para si próprio tudo o que existe. (Dicionário Informal)

Ambição - Aspiração. Pretensão, cobiça (Fonte: Dicionário Escolar da Lingua Portuguesa Paschoal Cegalla)

Gana  - grande apetite, fome, vontade, desejo agudo (Fonte: Dicionário Escolar da Lingua Portuguesa Paschoal Cegalla)

Algumas pessoas numa análise rápida poderão dizer que ser ganancioso ou ambicioso é uma coisa extremamente condenável e imoral, eu diria que depende, depende do uso que você faz da sua ambição e de sua ganância, pois posso discordar tranquilamente de Maquiavel quando diz que “os fins justificam os meios”, pois nem tudo vale a pena se fazer para conquistar qualquer coisa na vida. Inclusive Já estamos cansados de saber que o crime não compensa e tantos outros desvios de conduta condenáveis na nossa cultura também não.

Quero dizer com isso que nós precisamos sim ter ambições, sonhos, objetivos, metas, só que além de  tudo isso precisamos também ter vontade, determinação e garra pra buscar a concretização de tudo isso que almejamos, o que não quer dizer que precisamos nos corromper ou desviar dos caminhos da moralidade e da licitude.

Se você se encaixa nesse perfil, ou seja, se você é alguém que luta para a realização dos seus objetivos com vontade de vencer, você é ganancioso(a), se tens disposição para enfrentar dificuldades em busca de um ideal maior você é ambicioso(a), se você se encaixa nestas características posso dizer que és sim um(a) invicioneiro(a).


Eu sou uma invicioneira e você? O que você quer ser? Pergunte a você mesmo e decida!


Outras leituras

Receita de ano novo – Carlos Drumond de Andrade

O Príncipe – Nicolas Maquiável (esta obra pode ser baixada na internet porque já está em domínio público,  por ter mais de 100 anos)

O Monge e o Executivo – James C. Hunter

Dicas de resoluções de ano novo, ou não – Os Invicioneiros

 Fonte das imagens

Kboing

Rir razão de viver

Meu papel de parede Grátis

Átila Siqueira

Sobre a Autora:
Ana Karenina

Ana Karenina - Uma baiana, natural de Salvador, Servidora Pública Federal. Adora ler, blogar, tuitar, conversar e interagir na internet.

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

10 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;