Leia também...

Leia também...
Manual prático para lidar com gente chata nas redes sociais

Leia também...

Leia também...
Filosofia Para as Massas

Leia também...

Leia também...
Invicioneiro

Leia também...

Leia também...
De criança para criança

Twitter: quando o hábito vira vício?

terça-feira, 25 de maio de 2010

 

A popularização da internet tem contribuído também para o maior acesso e utilização, entre outras coisas, das mídias sociais como o Twitter, isso tem gerado uma mudança de comportamento dos internautas, que muitas vezes por fazerem uso contínuo desta mídia se tornam por consequência viciados.

 

Fonte da imagem: BP

 

Hábito contínuo X Vício

 

Uma pessoa mais desatenta poderá confundir um hábito contínuo com vício, mas há diferenças bem sutis nos seus significados, veja o que diz o Dicionário Cegalla:

 

Hábito: comportamento usual, repetição contínua de um determinado ato.

Vício: Hábito inveterado, inclinação para o mal.

 

Não ficou claro ainda? deixa que eu explico. Isto quer dizer que o fato de termos como rotina e costume repetir alguns atos, gestos e comportamentos não significa necessariamente que somos viciados, pois só a repetição não caracteriza um vício, existem outros elementos que somados podem determinar se alguém é viciado ou não.

Veja como algumas pessoas tem o hábito de sempre fazerem as mesmas coisas nos mesmos dias, os homens por exemplo tem o costume de jogar o futebol com os amigos naqueles dias programados e as mulheres tem aqueles dias para ir ao salão de beleza, estas atitudes fazem parte do cotidiano de muita gente e não é porque fazem sempre que são viciadas.

O vício é o exagero do hábito, não é determinado exclusivamente pela quantidade de horas que você pratica ou se sujeita ao vício e sim pelo quanto você se compromete com aquilo, vejamos alguns exemplo de situações que demonstram esse comprometimento exagerado:

1. Você quando não está no Twitter fica preocupado e pensando muito sobre o twitter, sobre as coisas que pretende fazer lá e sobre as pessoas que lá estão.

2. Você quando sai com seus amigos ou família você não consegue se desligar e se concentrar 100% ao encontro pois está sempre tuitando de alguma forma.

3. Você deixa de fazer obrigações como trabalhar e estudar para tuitar, mesmo tendo plena consciência da urgência de se fazer determinadas coisas, mas por desleixo você vai protelando ao máximo que pode.

4. Você já perdeu a hora de algum compromisso importante por ter tuitado demais.

5. Você fica mal humorado quando não consegue acessar o twitter.

6. Você não consegue ficar voluntariamente mais de uma semana sem acessar o twitter

7. Você não imagina a vida mais sem twitter

8. Você defende o twitter com unhas e dentes e desqualifica outras redes sociais.

9. Tudo que você faz na vida é registrado e tuitado. ex: ida ao salão de beleza, ida a um show, ida a uma festa. Com isso você é usuário contínuo do Twitpic porque adora compartilhar todos os seus momentos com seus seguidores.

10. Você leva ao pé da letra tudo que dizem no twitter, leva a sério tudo o que as pessoas fazem lá.

11. Você não consegue pensar em outra forma de distração nas horas vagas que não seja o twitter.

12. Você navega muitas horas e reduz drasticamente seu convívio social com outras pessoas fora twitter.

Se você tem a maioria destes comportamentos com relação ao Twitter, pode ser que estejas viciado ou já em vias de ser, é no mínimo preocupante e talvez seja importante repensar alguns valores e rever algumas atitudes. A questão essencial é você se perguntar: o Twitter atrapalha minha vida? Um viciado ele não tem plena consciência disto, ele encara o uso da mídia como prazer sempre, se envolve muito e passa a viver em função da mídia, se o Twitter lhe impede de ter um convívio mais social com os outras pessoas ou lhe prejudica em tarefas importantes na sua vida, isto pode indicar que o seu comprometimento tem sido mais do que o considerado saudável.

Na opinião de Young, os internautas que sofrem dessa dependência optam pelo prazer temporário em vez das relações íntimas e profundas. Os doentes cibernéticos entram em um círculo vicioso, já que a perda de auto-estima cresce à medida que aumenta sua dependência em relação à internet, o que eleva sua necessidade de escapar da realidade e de se refugiar na rede.  (Hipertwitter)


Por desespero muita gente quando se percebe viciado toma atitudes extremas de cortar o acesso drasticamente, ocorre que esta ruptura brusca as vezes causa mais danos do que uma revisão gradual de comportamento. A questão não está em ser ou não assíduo no Twitter e sim o quanto essa assiduidade lhe prejudica, se você observa que não, então não há motivo para pânicos nem preocupações, mas se você acha que sim, talvez seja a hora de mudar algumas atitudes.

Se o Twitter lhe dá prazer então tente fazer com que este prazer seja conciliado com outros prazeres, tente viver com o Twitter e não para o Twitter, quero dizer que quando fores por exemplo para uma festa com seus amigos, namorada, mulher e filhos não precisa tuitar de lá, aproveite estes momentos que são seus, se preserve mais, você merece momentos únicos com as pessoas que você ama ou que precisa estar.

Meu medo é que chegue uma hora que o vício chegue aos extremos de ver por exemplo alguém tuitar e fazer sexo ao mesmo tempo e passe a compartilhar com seus seguidores estes momentos narrando a relação no Twitter, não duvido nada, pois sei que muita gente pode perder a noção dos limites do bom senso com muita facilidade. Portanto, cuidem-se!

Outros textos sobre o tema:
Descubra se você é viciado em Twitter – Blogpaedia
Vício em Internet é considerado problema psiquiátrico - Hiper Twitter
20 sintomas do vício em Twitter - Cachimbo da Caipora

 

Sobre a Autora:
Ana Karenina

Ana Karenina - Uma baiana, natural de Salvador, Servidora Pública Federal. Adora ler, blogar, tuitar, conversar e interagir na internet.

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

6 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;