Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Uma Análise sobre a hipocrisia

terça-feira, 18 de maio de 2010

 

Segundo definição do Dicionário Cegalla hipócrita é: fingida, dissimulada, que disfarça a verdade.

 

Costumamos denominar de hipócrita aquela pessoa que condena práticas que ela mesmo faz, o que não deixa de ser uma dissimulação da realidade. Após ler artigos sobre o tema na blogosfera, comecei a refletir sobre o assunto e pude tirar algumas conclusões. Sempre estamos reclamando de pessoas hipócritas mas já parou pra pensar que nós também podemos ser um? Antes que você instintivamente diga que não, continue a ler o resto deste texto.

As vezes acontece de passarmos por situações em que pessoas tomam atitudes que condenamos e depois acabamos nós mesmos fazendo o mesmo. Eu por exemplo vivo reclamando de gente que reclama demais da vida e eu mesma em dias de estresse sou a primeira a reclamar de tudo e de todos, neste momento acabo por não ser exatamente como eu gostaria que as pessoas fossem, é o famoso: “faça o que digo mas não faça o que eu faço”, não conseguimos ser plenamente coerentes com nossos próprios discursos.

“O conceito de coerência está fundamentado na consistência do comportamento, ou seja, no falar e no agir de acordo com a pregação que fazemos.” (Reinaldo Polito)

Por que reparamos mais nos erros e equívocos dos outros? Por que eles nos parecem mais nítidos?


 


O problema é que olhamos mais pra fora do que pra dentro e é por isso que muitas coisas nos escapam, aprendemos primeiro a apontar o dedo para os defeitos dos outros do que para os nossos. Com isso, estamos o tempo todo querendo incutir nas pessoas valores e ideologias que acreditamos ser o certo, ainda que não sejamos os praticantes destas “ideologias corretas” , mas fazemos isso mesmo sem perceber, porque de algum modo queremos mudar os outros e a nós mesmos, repetimos os mesmos discursos porque queremos internalizar aquelas ideias e também mobilizar os outros para que este processo seja mais fácil para nós.

Acredito que não enxergar com clareza estas coisas seja devido por causa da nossa mente que trabalha de modo a nos proteger, pois se tivéssemos consciência sobre tudo não viveríamos tranquilos, isto me leva a crer que esta aparente “cegueira interna” acaba sendo um mecanismo de defesa.
 
Não confunda mudança de atitude com hipocrisia

Muita gente pensa que mudar de ideia ou de opinião a respeito de algo é hipocrisia, mas na realidade não é isso, ninguém deve ficar estático e preservar as mesmas crenças se elas não fazem mais sentido para sua vida. Não podemos julgar nem condenar a nós mesmos ou os outros por ter feito algum juízo de valor sobre alguma coisa e ter mudado em seguida, mudar de postura e de pensamento não é o que nos causa problemas, problemas surgem em virtude de nosso comportamento diante destas mudanças.

Quero dizer com isso que se hoje eu faço um juízo de valor sobre alguém e até concordar com essa pessoa, amanhã eu posso muito bem conhecê-la melhor e mudar de ideia, ou seja, eu posso entender as coisas de outra forma e não mais concordar com aquela pessoa, neste caso eu não estou sendo hipócrita, visto que a todos é permitido mudar de opinião desde que lhe seja pertinente.
 
“Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo” –Raul Seixas

 

Analise a você mesmo




Embora eu possa ser gramaticalmente incorreta quando digo que devemos olhar mais pra dentro do que pra fora, ainda assim acredito neste método para fazer uma auto-análise de si mesmo. Pois no momento que passamos a nos colocar no lugar do outro começamos a perceber o que realmente nos incomoda, notamos o que realmente reprovamos nos outros em nós mesmos, não quero dizer que devemos nos punir se descobrirmos algo em nós que não nos agrada, o que poderíamos fazer é tentar reparar as arestas para nos tornamos melhores pessoas.
 
“ Embora a autocrítica seja um excelente recurso para conquistar pessoas, pois demonstra que você não é guiado pela vaidade e que não vive se policiando com atitudes defensivas, tome muito cuidado, entretanto, para não se transformar em um arauto das suas imperfeições.” (Reinaldo Polito)
 
A hipocrisia é portanto um alarme para analisarmos as atitudes alheias e também as nossas. Repare bem para si mesmo, observe como você é, o que você sente, o que você faz com os outros e o que os outros fazem com você. Comece a analisar como os outros se comportam em relação a você, observe melhor o ser humano ao seu redor, o que os motiva, o que faz ele agir dessa ou daquela maneira. Com este gesto, você fará grandes descobertas e saberá com mais certeza com quem você deve andar, se juntar ou compartilhar bons momentos.


Após esta reflexão começo a acreditar que todos nós somos hipócritas de alguma maneira porque todos nós somos cegos de nós mesmos e enxergamos nos outros o que não queremos enxergar em nós mesmos. Vamos cuidar para não sermos hipócritas e nem incentivar que os outros sejam.


E você? o que acha disso tudo?

 Outras leituras

 Hipócrita? eu? – Camila Rabello

Hipocrisia: um dos problemas dos metablogs – Viamão Lotado

O que é hipocrisia? – Dicta & Contradicta

 Fonte das imagens:

Dreamstime

Olha que realmente

Papo de homem

Otimismo Net

 

Sobre a Autora:
Ana Karenina

Ana Karenina - Uma baiana, natural de Salvador, Servidora Pública Federal. Adora ler, blogar, tuitar, conversar e interagir na internet.

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

6 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;