Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Envelhecendo

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Lendo uma coluna do Ivan Martins, editor executivo da revista Época, deparei-me com um tema muito interessante: como os homens lidam com o envelhecimento. A coluna intitulada “Homens também envelhecem” desperta-nos para o fato de os homens somos despreparados para lidar com a questão do envelhecimento muito mais que as mulheres.

 

 

Em uma análise superficial, fica sempre a impressão de que a mulher preocupa-se mais com o envelhecimento, especialmente com a questão estética consequente dos anos acumulados. Quanto ao lado masculino, esses impactos costumam ser atenuados sobretudo pela generosidade da mulher, que não nos exige tanto quanto de si próprias. E isso vem pesar para nós tardiamente, quando percebemos o quanto estamos decadentes, em todos os sentidos.

 

 

O texto nos serve como reflexão acerca de nosso papel como maridos, namorados, companheiros, muitas vezes negligenciado. É preciso não exigirmos das mulheres o que não exigiremos de nós mesmos. Nossa parceira na vida deve ser respeitada mesmo quando os anos arrancarem dela o brilho externo da beleza física. Procuremos descobrir nela outras belezas que desconhecemos ao longo dos anos de convivência e, como recém-enamorados, perceber que aquilo que verdadeiramente une um homem e uma mulher não é visível, mas sensível.

 

 

Para concluir mais um pequenino post, deixo versos, como um ramalhete de flores:

 

 

Envelhecendo

 

percebo que os anos passam para mim

inexoravelmente

mas que preciso conhecer estas ruínas

tenho que mergulhar nos sumidouros

de mim

redescobrir olhares antigos que o tempo levou

abstrair minhas emoções remotas

que fiquei a ver pelas vitrines dos anos

e com a visão esmaecida e os dedos na boca

encontrar-lhe, mulher,

que virá cuidar de mim com carinhos e antissépticos

recapturando os sentimentos que se calaram

buscando na lama as frágeis intenções

que se foram pelos anos

voltar então às extremidades do copo que esvaziei

e enchê-lo novamente de esperança

enquanto você, mulher-amor,

resgata a minha vida

fazendo-me jovem

novamente...

 

Sobre o Autor:
The EDN

The EDN - sou industriário, trabalho há 27 anos na Cedro (indústria têxtil centenária de Caetanópolis, MG) e atuo como professor há 24 anos em escolas particulares e públicas

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

4 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;