Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Falta Uma Revolução

segunda-feira, 28 de junho de 2010

english team 

 

Eu nunca escondi que além do Brasil, torço pelo “English Team”. A Inglaterra é simplesmente o berço do futebol, além de ser a terra dos Beatles…

 

Eu percebo que em comparação com a Seleção Alemã, por exemplo, a Inglesa não se renovou. Ficando sempre na dependência de craques veteranos que já não jogam mais essa bola toda, reflexo da idade ou de lesões físicas.

 

E para piorar, uma “tsunami” de azar inundou a ilha. Para se ter uma ideia, o técnico italiano Fábio Capello, dono de um currículo invejável, teve quase dois anos para armar o “English Team” e derrubar  o ceticismo de parte dos britânicos. Mas uma pandemia de lesões e problemas físicos afetou todo um planejamento a pouco mais de um mês do início da Copa FIFA’2010.

 

David Beckham, a principal estrela da companhia, machucou-se e foi convidado para assessorar a comissão técnica. Rio Ferdinand e seu reserva Wes Brown foram cortados por lesão. Joleon Lescott, reserva imediato de John Terry, perdeu o seu lugar também por lesão e obrigou o técnico a convencer Jamie Carragher, de 32 anos, de desistir de sua aposentadoria na seleção, anunciada em 2007.

 

Ledley King, com um problema crônico nos joelhos, não conseguiu jogar duas partidas seguidas. O volante titular Gareth Barry viajou para a África no sacrifício e às pressas, depois de Capello ouvir a recusa de Paul Scholes de reconsiderar a decisão de abandonar a seleção.

 

Wayne Rooney jogou no sacrifício e por amor à camisa, pois não havia se recuperado direito de uma lesão na virilha e tornou-se a principal preocupação, por uma razão óbvia: não havia substituto para ele.

 

E sem falar na posição de goleiro, onde ninguém se firmou. Testemunhamos Robert Green engolir aquele frango dos EUA e acabou sendo substituído pelo David “Calamity” James, que também não inspirou confiança.

 

Depois de mais esse fiasco numa copa, lições devem ser tiradas e espero que os lordes que zelam pelo futebol britânico olhem para o futuro e façam uma revolução tal qual uns carinhas de Liverpool fizeram anos 60, que aliás, teve 1966 como o ano do único título mundial do “English Team”.

 

 

 

PS: Não confundir “Revolution” com “Rebolation”…

 

Sobre o Autor:
Harley Coqueiro

Harley Coqueiro - um cara da paz, iluminista, torcedor do Galo, evangélico não fundamentalista, pai do Ulisses e do Dante. Já desenhou charges, escreveu poemas e compôs canções gospel. Tem como pecados, gostar em excesso de rock'n'roll, filmes e comida!

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

4 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;