Leia também...

Leia também...
Manual prático para lidar com gente chata nas redes sociais

Leia também...

Leia também...
Filosofia Para as Massas

Leia também...

Leia também...
Invicioneiro

Leia também...

Leia também...
De criança para criança

Por que você não deve criar um blog

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Segundo matéria do  site Uoltecnologia: “O sistema de busca de blogs Technorati publica pesquisas periódicas com números envolvendo uma das mais utilizadas ferramentas de criação de sites da Internet. O mais recente estudo indica que a rede já conta com cerca de 27,2 milhões de sites desse tipo e que esse número dobra a cada cinco meses e meio. São 75 mil blogs criados por dia. É como se um novo blog fosse criado a cada segundo. E, para assustar ainda mais, são aproximadamente 1,2 milhões de textos novos por dia, o que dá um total de 50 mil "posts" por hora.”

 

blogar

 

De acordo com o levantamento feito pelo "The Register" (www.theregister.co.uk), 45% dos blogs não recebeu um comentário nos últimos três meses. Isso não significa que a atividade seja baixa por dia, 275 mil posts são colocados, o que dá uma média de 3 blogs atualizados por segundo. (dados de 2004)

 

Se levarmos em conta que a pesquisa supra mencionada foi publicada em 2006, passados 4 anos, usando a perspectiva de crescimento indicada, provavelmente temos hoje cerca de 190 milhões de blogs  criados e uma infinidade de posts publicados.

 

Criar um blog hoje em dia exige o mínimo, ou quase nenhum esforço, visto que as ferramentas para isso são de uma simplicidade tal que, qualquer pessoa, que saiba pelos menos navegar na web, está habilitado para essa essa tarefa.

 

Existe uma infinidade de motivos para se criar um blog: “Normalmente as pessoas abrem um blog por varias razões, porque têm muito tempo e não sabem o que fazer com ele, porque têm amigos que também têm blogs e também gostariam de ter um, porque está na moda, porque leram em outros blogs que ter um blog da dinheiro, porque têm algo para ensinar, porque querem ser populares, porque querem atenção. [Ganhar On Line].”

 

Então fica assim combinado, não tem nada o que fazer na web, vai criar um blog! Ora! como já disse, o processo de criação é algo trivial, e depois de criado o que fazer com ele?

 

duvidas

 

Conheço pessoas que criaram um blog com um intuito e posteriormente mudou radicalmente o direcionamento, seja por falta de perspectiva, de público, de retorno financeiro e, principalmente, de novidades.

 

E por que você não deve criar um blog? Pelo simples fato de você não saber o que fazer com ele. Muitos, que se dizem blogueiros, se parecem com  aquelas pessoas que vão às liquidações de queima de estoque e compram o que não precisam porque estava em promoção e todo mundo estava comprando. Conheço um cidadão que comprou um jogo de pneus para o carro, que ele ainda não tem, só porque estava “baratin”.

 

Parece que a moda agora é a seguinte: para estar na crista da onda da web é obrigatório ter um blog. Penso que ter um blog é diferente de ser blogueiro. Segundo definição do estadao.com.br,  “Blogueiro é a pessoa que escreve em um blog”, se o sujeito se limita a postar imagens, vídeos e conteúdos plagiados, logo ele não pode ser considerado um blogueiro.

 

O que eu tenho com isso? Nada. O processo de criação e manutenção de um blog é  um livre arbítrio. Cada pessoa deve saber se vale a pena ou não ter um. Mas o que me irrita é a  tosca e repetitiva fórmula usada atualmente: o uso abusivo de imagens e vídeos publicados como se fossem posts e o hábito deplorável dos blogueiros parasitas de surripiarem conteúdo alheio publicando como se fossem seus.

 

Ctrl C

 

Se você caiu na besteira de tentar ser blogueiro, que faça isso com criatividade, faça algo inédito, algo que acrescente alguma coisa à blogosfera, tenha compromisso com o conteúdo. Reflita sobre o tempo que você deverá dispor para estudar, para pesquisar os assuntos abordados.  Aquilo que você leu de interessante em um outro blog pode servir de inspiração para seu processo de criação mas, “pelamordedeus”, não copie integralmente conteúdo alheio e publique no seu blog com a famosa frase introdutória: Olha que post legal que vi no blog tal… Isso é plágio meu caro colega “blogueiro”. E é totalmente abominável.

 

Olha só que e-mail camarada recebi recentemente:

 

Olá. Meu nome é (Fulano de Tal) e mantenho alguns blogs na Internet, com assuntos diversos. Gostei muito de seu texto sobre a alienação coletiva no período da Copa do Mundo e gostaria de publicá-lo em meu blog, se possível (com a citação de fonte, obviamente). Aguardo seu retorno e, espero, autorização. Muito obrigado.

 

Respondi da seguinte forma:

 

Primeiramente gostaríamos de agradecê-lo pelo elogio ao post. Sobre publicá-lo no seu blog na íntegra, acho que não seria legal, você poderia fazer um pequeno texto sobre o assunto em questão e colocar o link para nosso post.

 

Olha só a tréplica do cidadão:

 

A idéia não era essa, e sim divulgar o seu blog e seu texto sobre o assunto, que achei bastante pertinente. Acreditei que falar sobre o assunto e espalhar a idéia seria mais importante do que chamar visitas exclusivamente para o seu blog.

 

Seria uma maravilha né, fulano de tal? O leitor leria meu post no seu blog e como agradecimento visitaria o meu blog para reler o post no blog do autor original. Seria uma divulgação e tanto. Sabe quanto leitores fariam isso? Nenhum.

 

Por isso minha indignação diante do surgimento indiscriminado de blogs. Vejo que a maioria está interessada em criar o espaço, mas pouquíssimos estão preocupados em criar conteúdo. Podem acreditar, a futilidade atrai pessoas, mas não fideliza.

 

Meditem sobre a fala abaixo: 

A facilidade de acesso pelas novas fontes na internet e pelas redes sociais aguça a curiosidade por temas diversos mas pode nos deixar preguiçosos de aprofundar nos assuntos. Torna a cultura rasa e nivelada.  Cultura e conhecimento são ativos que diferenciam as pessoas e as tornam heterogêneas na vida profissional e pessoal. Essas diferenças fazem nossa sociedade rica. Precisamos usar as novas fontes como ferramentas que ajudem a ampliar nossas culturas e sabedorias, e prestar atenção nesse fenômeno perigoso da superficialidade. Está sobrando informação superficial, faltando conteúdo. [Marcelo Miranda]

 

Por fim, cito a adaptação mais idiota dos  últimos tempos, o lema dos blogueiros parasitas: “Na internet nada se cria, tudo se copia.”  Como diria um conhecido meu: “vão morrer pra lá.”

 

Indico a leitura:

O Fim da Várzea - O Futuro dos Blogs Já Chegou, Qual é Mesmo?

Ferramentas Blog - As redes sociais estão matando os blogs?

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Siga no Twitter [@jmpsousa].

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

20 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;