Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Os Meus 10 Bateristas Preferidos

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

 

charlie watts

 

 

Pegando o gancho na egolatria do The EDN e como outras atividades estão tomando o meu tempo dedicado aos Invicioneiros, resolvi postar a minha lista de bateristas preferidos, uma vez que também gosto de tocar bateria nos cultos da igreja (embora não toque tão bem quanto os carinhas desta lista…).

 

Ressalto que não sou daqueles que acham que um bom instrumentista tem de ser virtuoso, semideus e intocável. Às vezes, a atitude, a inventividade e a pegada valem bem mais!

 

 

10º Lugar: Qualquer baterista de Jazz

Qualquer baterista de jazz toca mais que qualquer outro baterista. Parece incoerência deste escriba que não é chegado a instrumentistas virtuosos, mas é uma constatação.  Por isso mesmo, não quis nominar  nenhum …

 

Jazzy_drummer

9º Lugar: Igor Cavalera

Confesso que nunca fui fã de heavy metal, death metal, etc, mas o que este cara fez no disco “Roots” do Sepultura, foi algo de arrepiar. Os tambores parecem querer baixar o espírito de algum xamã!

 

igor_cavalera

8º Lugar: João Barone

No início, com influências de Stewart Copeland do The Police, João Barone conseguiu substituir com competência o baterista Vital e satisfazer o “nerd” Herbert Viana e o marxista Bi Ribeiro, dos Paralamas do Sucesso. Uma lenda viva, ainda é considerado o melhor baterista do pop/rock tupiniquim desde os anos 80.

 

João_barone

7º Lugar: Larry Mullen Jnr

Aos 15 anos gravava com o U2 o primeiro álbum “Boy”, e mostrava ao mundo que o grupo irlandês não tinha apenas um vocalista messiânico e um guitarrista genial: tinha também um gigante na bateria!

 

larry-mullen-jnr

6º Lugar: Phil Collins

Começou como baterista do Genesis e depois tornou-se o “front man” da banda com a saída do vocalista Peter Gabriel. Dono de uma musicalidade sublime e de um talento inato para compor canções pop de sucesso, o vovô Phil Collins é reverenciado até hoje.

 

Phil_Collins

5º Lugar: Dave Grohl

O que este cara fez no disco “Nevermind” do Nirvana foi algo acima do impressionante. Carismático, após a morte de Kurt Cobain, seguiu carreira bem-afortunada com o Foo Fighters, tocando guitarra e compondo hits após hits.

 

Dave-Grohl

4º Lugar: Neil Peart

Confesso que também não era muito fã de rock progressivo, mas até hoje a virada de bateria de “Tom Sawyer”, do Rush, me impressiona (música tema da série oitentista “MacGyver: Profissão Perigo”).

 

Neil_Peart

3º Lugar: Keith Moon

Este tocava bateria com fúria. O The Who não seria a lenda que é sem este baterista maluco beleza. Amigo do lendário ator Steve McQueen (outro maluco beleza), os dois passavam horas e horas tocando bateria e incomodando a vizinhança em NY.

 

Keith_Moon

2º Lugar: John Bonham

Este lendário baterista do Led Zeppelin dispensa maiores comentários. Além da técnica tribal, mixava o bumbo como se fosse um tambor de guerra convocando para a batalha do Armagedon.

 

john_bonham

1º Lugar: Stewart Copeland

O baterista do The Police é o meu preferido, não só pela técnica, mas também pela ousadia e inovação em misturar reggae, ska e rock. Sutil, até mesmo nas levadas “retas”, este baterista brilhava, levando o ouvinte a entender que também se pode ser um bom instrumentista, utilizando recursos minimalistas e dando espaços para os outros instrumentos. Foi a principal influência das gerações seguintes (Ah, e o pouco que eu sei de bateria, devo por escutar muito os discos do Police!).

 

Stewart_Copeland

 

 

 

E a menção honrosa vai para o baterista dos Rolling Stones, pelo seu estilo desleixado de tocar (com um ar “blazé”, dá a impressão de que ele está entediado e com uma tremenda má vontade!). “Sir” Charlie Watts (que aparece na foto de abertura do “post”) é um baterista muito “cool”!

 

Sobre o Autor:
Harley Coqueiro

Harley Coqueiro - um cara da paz, iluminista, torcedor do Galo, evangélico não fundamentalista, pai do Ulisses e do Dante. Já desenhou charges, escreveu poemas e compôs canções gospel. Tem como pecados, gostar em excesso de rock'n'roll, filmes e comida!

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

8 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;