Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Não Existe Amor em SP (Mas Talento, Sim!)

segunda-feira, 27 de junho de 2011

 

Como é que são as coisas: o meu decodificador da SKY pifou de vez. Então, enquanto aguardava a visita de um técnico para a troca do equipamento, tive que recorrer à programação da TV aberta convencional.

 

E numa dessas tardes eu assisti a um programa da TV Cultura (sempre uma excelência em sua programação), chamado de “Manos e Minas”, dirigido ao público que gosta de rap e hip-hop.

 

E não é que vi um cara chamado de “Criolo” (já foi chamado de “Criolo Doido”, que prefere ser chamado de MC a cantor), acompanhado de uma banda composta de guitarra, baixo, bateria, teclado, DJ, metais e quarteto de cordas. Quando começou a cantar a música “Não Existe Amor em SP”, eu percebi algo em sua verve, raro nestes tempos de entressafra na MPB: poesia puramente suburbana, sem o intelectualoidismo presunçoso de outrora e a futilidade de agora: “Os bares estão cheios de almas tão vazias”.

 

Criolo_Invicioneiros

 

Como outros blogueiros, também tive a idêntica sensação quando ouvi pela primeira vez “Smells Like Teen Spirit”, “Maracatu Atômico” e “Domingo no Parque”. O seja: os mesmos entusiasmo e inquietação, quando descobri Nirvana, Chico Science e Racionais MCs.

 

Fiquei ali parado na frente da TV, em transe, prestando atenção na letra e no andamento da música. Criolo canta um soul com o estilo peculiar da bossa nova. Ao vivo, a música vai ganhando tensão e cólera a cada acorde, chegando ao ápice com um solo de guitarra a la Hendrix, duelando com o quarteto de violinos, coisa que atualmente, somente o Radiohead conseguia.

 

Prestem atenção na letra e nos vídeos.  Pode ser que o amor anda raro em SP, mas ainda há talento nas periferias…

 

“Não Existe Amor em SP”

Um labirinto místico
Onde os grafites gritam
Não dá pra descrever
Numa linda frase
De um postal tão doce
Cuidado com o doce


São Paulo é um buquê
Buquê são flores mortas
Num lindo arranjo
Arranjo lindo feito pra você
Não existe amor em SP


Os bares estão cheios
De almas tão vazias


A ganância vibra
A vaidade excita


Devolva minha vida
E morra afogada no seu próprio mar de fel


Aqui ninguém vai pro céu


Não precisa morrer pra ver Deus
Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você
Encontro tuas nuvens em cada escombro, em cada esquina


Me dê um gole de vida
Não precisa morrer pra ver Deus

 

Simbolismos das frustrações urbanas:

 

 

Criolo ao vivo, no SESC da Vila Mariana (SP), no lançamento do álbum “Nó na Orelha”:

 

Sobre o Autor:
Harley Coqueiro

Harley Coqueiro - um cara da paz, iluminista, evangélico não fundamentalista, pai do Ulisses e do Dante. Já desenhou charges, escreveu poemas e compôs canções gospel. Tem como pecados, gostar em excesso de rock'n'roll, filmes e comida!

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

2 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;