Leia também...

Leia também...
Manual prático para lidar com gente chata nas redes sociais

Leia também...

Leia também...
Filosofia Para as Massas

Leia também...

Leia também...
Invicioneiro

Leia também...

Leia também...
De criança para criança

O Google+ Chegou! Acho Que Para Ficar

terça-feira, 12 de julho de 2011

O Google implementou no último dia 28/06 mais um serviço de rede social na esperança de finalmente poder fazer frente  ao já afamado Facebook. Trata-se do Google+. Ao contrário das tentativas anteriores (Wave e Buzz) parece que finalmente o Google conseguirá êxito.

 

google-plus-logo-640

 

Logo após o anúncio de sua implementação, vários internautas, como esse escriba que vos fala, correram os sites para obterem informações acerca da nova ferramenta, não faltaram artigos sobre o tema, mas o mais didático e informativo, sem laivo de dúvidas foi o do @RicardoFraga para o blog Google Discovery.

 

Levar, à web, a riqueza do compartilhamento da vida real. Este é o conceito do Projeto Google+, lançado hoje pela gigante das buscas. Encabeçada por Vic Gundotra, vice-presidente de engenharia do Google, a novidade foi alvo de inúmeros rumores e recebeu vários nomes desde os primeiros indícios de que a empresa estava desenvolvendo uma nova rede social. [Google Discovery]

 

Algum tempo depois descobriu-se que poucos felizardos teriam acesso ao novo serviço e que isso seria feito através de convites do próprio Google ou de algum usuário mais sortudo que obteve acesso imediato ao serviço e ainda poderia distribuir convites.

 

Decididamente ficou comprovado que não sou uma pessoa de sorte, recebi um convite para acessar o serviço, porém não obtive êxito no acesso. Evidentemente que logo após a implementação, houve uma busca frenética dos usuários para testar a ferramenta e repassar as impressões auferidas o que deve ter causado um congestionamento no acesso, impedindo muitos, como eu, de aderirem ao serviço.

 

Mais tarde descobriu-se que o Google estava liberando aos poucos os acessos, pois tratava-se de uma fase experimental do produto.

 

O Plus está em desenvolvimento há um ano. Funcionários do Google já o usam há alguns meses. Félix Ximenes, diretor de comunicação da empresa, afirma que o produto era completamente diferente daquele que está no ar. [Estadão]

 

Quando finalmente consegui me integrar a rede, passei a estudá-la e aproveito o ensejo para repassar minhas impressões iniciais sobre a nova investida do Google:

 

+ Gostei da nova interface clean, seguindo a tendência atual dos sites e blogs;

 

+ Não acho que o Google+ seja um concorrente para o Twitter, ainda, acho que será um adversário de peso para o Facebook, tendo em vista as similaridades dos serviços;

 

+ A formação dos círculos segue uma tendência parecida com o seguir do Twitter, e não faltam os já tradicionais e toscos: circula eu, que eu circulo você;

 

+ Desde minha adesão ao serviço, reconheço que passo mais tempo Google+zando do que Facebookando e Twitando;

 

+ A priori, o Google+ parece mais interativo do que seus concorrentes, talvez seja pelo afã inicial do lançamento;

 

+ O fato da adesão estar vinculada aos convites acaba despertando a curiosidade de muitos, o que eu considero uma estratégia bem interessante;

 

+ Muitos usuários conhecidos das outras redes já se fazem presentes no Google+, facilitando assim a adição de pessoas aos círculos;

 

Pois bem, estão aí minhas impressões iniciais sobre essa nova tentativa do Google de implemento de uma rede social, para fazer frente ao crescimento vertiginoso do Facebook. Acho que desta vez o Google acertou em cheio, pois o serviço parece ter agradado a maioria dos usuários que já aderiram, inclusive esse escriba que vos fala.

 

O Google tem evitado chamar o Plus de rede social. “É um avanço do que o Google já é”, tenta definir Ximenes. O Google+ busca adicionar uma camada social à web – mais ou menos como os botões retweet e curtir já fazem. [Estadão]

 

Ressalto que minhas considerações são ainda muito superficiais, pois o serviço foi implementado a apenas uma semana.

 

Se quiserem me adicionar nos seus círculos, o endereço é:

https://plus.google.com/u/0/114207307968787912354/posts

 

O amigo +Ricardo Fraga publicou uma enquete para avaliar as impressões iniciais dos usuários no blog Google Discovery, clique aqui para acessar e registrar sua opinião.

 

Indico a leitura:

 +1 Tentativa 

Google lança o Plus – uma rede social para enfrentar o Facebook 

Projeto Google+, a nova rede social do Google

 

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Siga no Twitter [@jmpsousa].

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

5 comentários :

Ana Magal disse... Responder comentário

Engraçado, acho que devo ter sido a única que não gostou do Google Plus. Entrei, olhei, fuxiquei, me perdi, me achei e mesmo assim não senti tesão por ele.

O twitter, eu tô meio off dele. Meio cansando de tanta baboseira publicada na TL, mas tenho passado mais tempo no facebook (esse sim me conquistou).

Pode até ser que 'pegue' a ideia do Google Plus, porém, para mim ficará como segunda opção em termos pessoais, assim como o orkut é pra mim hoje. Em termos profissionais ainda não sei. Acho ele muito invasivo. Vejo pessoas me adicionando 'nos círculos deles' sem que eu tenha dado autorização, e isso me incomoda. Não gosto de ler que 'são meus amigos' pessoas que eu nem imagino quem seja.

Pra isso, siga-me no twitter ora. Orkut, facebook e outras redes similares devem ser só para quem quisermos e não para quem o Google quer que entrem em meus 'círculos de amizade'.

Bem... essa é minha opinião. Não gostei. Não sei se ainda vou mudar de opinião, mas até agora só consegui ficar 1 dia inteiro lá e sem a menor paciência... Se algum dia irei gostar? Não sei... Se conseguir tesão para entrar no bicho haha, quem sabe... Oh troço chato que fica piscando em vermelho em todos os meus serviços Google que eu abro, me obrigando a lembrar que aderi aquela maldição haha...

Beijocas

12 de julho de 2011 14:49
José Márcio disse... Responder comentário

# Ana, como eu disse no post, minha experiência ainda é muito superficial para uma análise mais apurado, mas confesso que gostei do que vi. Acho bacana o tipo de interatividade que ele tem proporcionado. Só com o tempo saberemos se é apenas "fogo de palha".

13 de julho de 2011 10:26
Júnior Gonçalves disse... Responder comentário

Também sou muito mais o Google+ do que o Facebook.

Há mais de um ano que tenho Facebook e ainda fico perdido para localizar determinadas coisas, enquanto que no Google+ bastaram apenas alguns minutos para entender e conhecer a ferramenta.

Meu único problema com o G+ é que ainda há poucos amigos meus na rede, quase todos do meu "circulo" eu já acompanho no Twitter e nos Feeds. Até agora está sendo apenas mais um canal para acompanhar essas pessoas.

Muito bom o artigo! Curti, ou melhor... +1

Abraços,

14 de julho de 2011 14:39
Guilherme disse... Responder comentário

Acho que foi um fracasso total, parece que não vai crescer, é só mais um temporário, facebook continuará! 1000 vezes melhor na minha opinião.

30 de dezembro de 2011 02:10
José Márcio disse... Responder comentário

#Junior Gonçalves, confesso que estou gostando muito dessa nova rede, espero que tenha vida longa.

#Guilherme, respeito sua opinião mas não concordo. Números recentes mostram que o G+ tem crescido mais rápido do que seus concorrentes (confira nesse link). Ademais, como eu já disse anteriormente, não vejo as rede sociais como adversários onde uma elimina a outra. Acho que cada um escolhe aquela rede social que mais lhe agrada, de acordo com as preferências e motivações. Penso que todas podem conviver harmoniosamente.

3 de janeiro de 2012 13:08

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;