Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Nem Só de Música Pop Viveram os Anos 80…

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

 

 

 

Já que o meu geriátrico saudosismo oitentista parece não ter cura, resolvi buscar na memória uma pequena amostra de filmes significativos dos anos 80, comprovando que aquela década não foi apenas de boa música pop, mas também de  filmes inesquecíveis que marcaram gerações.

 

intocaveis_invicioneiros_harley_coqueiro

 

[Coincidência ou não, nenhum aqui ganhou Oscar de  melhor filme no ano de seu lançamento…]

 

E como os trailers parecem ser ainda melhores que os filmes…

 

 

Os Irmãos Cara de Pau” [Blues Brothers – 1980]

Os musicais já haviam perdido o fôlego e este surgiu com um enredo bacana e muito divertido: dois ex-presidiários decidem reunir a sua antiga banda para angariar dinheiro com o objetivo de socorrer a creche onde foram criados e que se encontra à beira da falência. Nada a ver com o cafona “Flashdance”. São hilárias as participações de bambas como o “Padrinho do Soul” James Brown, Ray Charles, John Lee Hooker e da diva Aretha Franklin!

 

 

 

Mad Max” [Mad Max – The Road Warrior – 1981]

Nenhum filme futurista conseguiu pintar o futuro tão próximo da realidade quanto este. Angustiante, perverso e sarcástico, “Mad Max” abriu as portas do estrelato para o galã Mel Gibson.

 

 

 

E. T. – O Extraterrestre” [E. T. – The Extra Terrestrial - 1982]

Steven Spielberg fez este filme dirigido ao público infantil que, de tão bom, acabou tocando também o coração dos adultos. Detalhe genial: a câmera está a apenas 1 metro do chão, para que o telespectador possa se sentir como uma criança…

 

 

 

Blade Runner – O Caçador de Androides” [Blade Runner – 1982]

Clássico noir futurista com trilha sonora magistral.

 

 

 

Indiana Jones e o Templo da Perdição” [Indiana Jones and The Temple of Doom – 1984]

O mundo passa a conhecer um herói humanizado: invicioneiro, pirracento e que sente medo como qualquer mortal.

Steven Spielberg, para compensar a frustração de não poder dirigir um 007, pode ter dirigido o melhor filme de aventura de todos os tempos!

 

 

 

Um Tira da Pesada” [Beverly Hills Cop – 1984]

Já havia filmes com policiais negros como coadjuvantes, mas nada até hoje se compara a Axel Foley, o detetive gozador e folgado vivido por Eddie Murphy. Ação e risadas do início ao fim, com uma trilha sonora oitentista de arrebentar!

 

 

 

De Volta Para o Futuro” [Back To The Future – 1985]

O enredo “atemporal” deste filme é muito interessante e consagrou um pequeno gigante chamado Michael J. Fox.

 

 

 

A Garota de Rosa Shocking” [Pretty in Pink – 1986]

Eu não poderia deixar de citar filmes sobre adolescentes, na maioria dirigidos por John Hughes. Na década de 80 houve filmes sérios como “Clube dos Cinco”, “Conta Comigo”, “Footlose” e “Vidas Sem Rumo”. E também escatalógicos mas divertidos como “Porkys”, “O Último Americano Virgem”, “Gatinhas e Gatões” e “Curtindo a Vida Adoidado”.

 

 

 

Os Intocáveis” [The Untouchables - 1987]

Lembro quando este filme dirigido por Brian De Palma e estrelado por Kevin Costner, Sean Connery, Andy Garcia e Robert De Niro, esteve em cartaz no extinto Cine Rivello de Sete Lagoas. Causou um frisson que só seria igualado pelo megalomaníaco “Titanic”, mais de uma década depois.

 

 

 

Sociedade dos Poetas Mortos” [Dead Poetys Society – 1989]

Filme instigante para fechar com chave de ouro o cinema dos anos 80. A bela história de um professor transgressor vivido por Robin Williams, que faz a diferença na vida de seus alunos oprimidos pela ortodoxia de uma escola ultratradicional. Este filme tornou a frase “Carpie Diem” mundialmente conhecida.

 

 

 

[Bonus Track]:

 

Coração Satânico” [Angel Heart – 1987]

Filmaço de suspense dirigido por Alan Parker e estrelado por Mickey Rourke e Robert De Niro. Para quem tem obsessão pelo gênero [como este escriba…], poucos thrillers produzidos nas décadas seguintes alcançaram a qualidade de “Coração Satânico”.

 

Sobre o Autor:
Harley Coqueiro

Harley Coqueiro - um cara da paz, iluminista, evangélico não fundamentalista, pai do Ulisses e do Dante. Já desenhou charges, escreveu poemas e compôs canções gospel. Tem como pecados, gostar em excesso de rock'n'roll, filmes e comida!

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

3 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;