Leia também...

Leia também...
Manual prático para lidar com gente chata nas redes sociais

Leia também...

Leia também...
Filosofia Para as Massas

Leia também...

Leia também...
Invicioneiro

Leia também...

Leia também...
De criança para criança

Guerra das Redes Sociais? Que idiotice é essa?

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Desde que o mundo é mundo parece ser obrigatório as divisões, assim sendo, segundo reza a lenda,  Adão começou a reclamar por ser sentir sozinho e acabou cedendo uma costela para que fosse criada a sua companheira a quem chamou de Eva , ou algo parecido, já que não sou especialista no assunto.

 

propaganda-posters Imagem: Gizmodo

 

Então foram criados o homem x mulher, coloquei o versus de forma intencional devido ao fato de que parece haver um grupo, ou grande parte da humanidade, adepto à competição entre o sexo oposto. Perdem tanto tempo discutindo que o homem é melhor nisso e a mulher é melhor naquilo, que não conseguem entender o “óbvio ululante” de que ambos se complementam.

 

No ano de 450, sob o pretexto das discussões se Jesus tinha uma natureza (era só Deus) ou duas (a divina e a humana), houve a separação da Igreja Siriana. Em 1054, a Igreja de Constantinopla e a Igreja de Roma romperam as relações, excomungaram-se mutuamente, declarando-se inimigas. Uma chaga que até hoje não se curou. Isto para falar apenas das divisões maiores. [Edmilson Schinelo]

 

Ao término da Segunda Guerra, os EUA eram o país mais rico do mundo, porém eles teriam que enfrentar um rival, ou seja, o segundo país mais rico do mundo: a URSS. Tanto os EUA (capitalista) como a URSS (socialista), tinham idéias contrárias para a reconstrução do equilíbrio mundial, foi então que começou uma grande rivalidade entre esses dois países. Quem era melhor? Esse conflito de interesses que assustou o mundo ficou conhecido como Guerra Fria. Tanto os EUA criticavam o socialismo quanto a URSS criticava o capitalismo. [Infoescola]

 

As questões suscitadas acima servem apenas de parâmetro para que o leitor tenha noção de que parece haver uma necessidade rudimentar da espécie humana em se dividir, montando sempre os grupos dos contras e dos a favor. Cada qual precisa, necessariamente estar de um lado ou de outro da questão, já que como diria o poeta: toda unanimidade é burra.

 

 

Desde a popularização da internet no tocante especificamente às redes sociais,  cada grupo defende sua posição em relação a preferência exaltando as qualidades de uma em relação a outra. Os protagonistas mais populares do momento são: Facebook, Twitter e o recém criado Google Plus ou Google+.

 

Você, obrigatoriamente, terá que escolher sua bandeira e lutar até a morte pela supremacia da sua preferência ou quem sabe a aniquilação total do seu adversário. Obviamente que, como em toda a guerra, o mais importante é angariar os maior número de aliados possível para auxiliar nos embates diários. As batalhas ocorrem em várias frontes, e, às vezes, é necessário adentrar no território inimigo.

 

Pois é amigos, todos que fazem presentes nas redes sociais já devem ter presenciado essa batalha inútil de alguns pela unanimidade de uma rede em relação a outra. Facebookanos, Twitteiros e Pluseiros, vivem em constante atrito, cada qual defendendo a supremacia de sua ilha imaginária.

 

Recentemente opinei numa postagem da Karla Karioca no G+ que versava sobre uma possível batalha existente entre o G+ x Facebook:

 

Imagem01 Jan. 05 

Fato é que, pra mim, tudo não passa de uma grande inutilidade, pra não dizer imbecilidade, já que, teoricamente, cada usuário escolhe a rede social de acordo com sua preferência e necessidade. Como eu disse no post supra mencionado: tem sempre alguém botando pilha nas redes sociais prevendo que uma vai destruir a outra. Pra mim, ninguém vai acabar com ninguém, cada qual tem sua importância para os usuários. O sujeito fica onde se sente melhor. A única que não uso é o Orkut, uma questão meramente pessoal, nada contra quem usa.

 

Outra coisa, eu não consigo ver tanta similaridade assim entre as redes sociais para que sejam concorrentes, uso vários redes sociais e cada qual tem a sua importância de acordo com minha necessidade do momento. Ademais ninguém é obrigado a ficar onde não se sente bem, caso aquela rede não atenda seus anseios, o melhor a fazer é “enfiar a viola no saco” e procurar abrigo em outro lugar, sem no entanto, praguejar ou desfazer do lugar onde você não se adaptou.

 

Psicólogos do grupo de pesquisa de computação social da HP, fabricante de computadores, descobriram que ficamos mais teimosos à medida que mais pessoas discordam de nossas opiniões…  [Revista Galileu]

 

Sinceramente não vejo motivos para essa celeuma toda que se criou no tocante à eterna guerra entre as redes sociais. Que os proprietários dessas redes sejam de fato concorrentes e que procurem superar uns aos outros,  já que dessa forma quem ganha são os usuários. Mas, decididamente, eu não quero e nem vou tomar partido de nada. Não recebo nenhum vintém de nenhuma delas pra ser usuário vitalício e defensor perpétuo. Estarei presente até o momento em que me são uteis, quando não mais me interessarem, pego meu chapéu e vou cantar em outra  freguesia, e sugiro que outros façam o mesmo.

 

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Siga no Twitter [@jmpsousa].

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

13 comentários :

Harley Coqueiro disse... Responder comentário

Você, mais do que ninguém, acompanhou a minha relutância para aderir às tais "Redes Sociais"...

Eu ficava até então no blog, no meu cantinho, desconfiado, à mineira. Até que num belo dia resolvi aderir ao Twitter, Orkut, Facebook e Google +, numa tacada só.

Mas a sensação que eu tenho com essas tão propaladas "redes sociais" é de um enorme vazio: acho que superstimam estas coisas e no fundo, no fundo, são de uma inutilidade só!

De todos, se é que posso apresentar a minha predileção aqui, gosto mais do Facebook, por três detalhes: é mais divertido (não tô nessa pela grana e sim pelo prazer!); a maioria das pessoas que participam do Face são gente de carne e osso, com defeitos e virtudes, que conheço e vejo nas ruas, e porque é mais dinâmico que os demais.

Mas francamente, observo que algumas pessoas levam essas redes muito a sério! Chega a assustar! Alô! Alô! Existe vida além do teclado e monitor!!!

E essa guerra fria que foi mencionada no post, é mais umas das inúmeras discussões fúteis que temos por aí, e que só devem atender aos interesses dos executivos donos dessas redes...

5 de janeiro de 2012 11:41
Aparecido Rosario disse... Responder comentário

A evolução humana se deu devido à inúmeras guerras através dos tempos, e assim deve continuar.
Na boa? Acredito ser divertido toda essa celeuma entre as três grandes redes. Quem ganha com isso somos nós, blogueiros, pois as redes sociais ultimamente tem sido fontes de tráfego indispensáveis para nossos blogs.

5 de janeiro de 2012 12:23
The EDN disse... Responder comentário

Faço minhas as palavras do amigo Coqueiro. E reitero "a la Cabrito Tevez":
— Que "bissurdo"!...

5 de janeiro de 2012 13:51
Marcus Morais disse... Responder comentário

Essa "guerra" por parte dos usuários não leva a nada mesmo. Já a "guerra" entre as empresas as impulsionam a evoluir e quem ganha somos nós.

5 de janeiro de 2012 14:23
Flavio Laia disse... Responder comentário

Essa rivalidade é algo muito real, mas esse fato resulta em "benefícios" para os diversos usuários, uma vez que a tal concorrência promove melhorias nas redes sociais. Daí, cabe a cada um escolher as suas preferidas de acordo com suas necessidades, sem confrontos desnecessários.

5 de janeiro de 2012 23:17
José Márcio disse... Responder comentário

#Harley Coqueiro, acho que o problema é esse, pessoas andam tomando pra si questões que deveriam dizer respeito às empresas, donas dos espaços.

#Aparecido Rosário, como frisei no texto, desde de que a guerra fique restrita às empresas eu também não me importo. O que acontece é alguma pessoas tentam incutir suas preferências na cabeça dos outros, como se gosto não fosse algo pessoal.

#The EDN, bem por aí.

#Marcus Morais, li seu texto no G+ e gostei tanto que queria até reproduzí-lo aqui, concordo plenamente com você nesse ponto, sem competição não há crescimento, no tocante ao mercado.

#Flavio Laia, como frisei no texto, quem deve competir são as empresas, aos usuários cabe observar e tirar proveito dos benefícios proporcionados pela disputa. Ocorre que alguns querem nos obrigar a acreditar que uma seja melhor do que outra, quem tem que decidir isso é o próprio usuário.

6 de janeiro de 2012 09:05
Régis disse... Responder comentário

Eu nem sequer sabia que existia rivalidade para tão pouca coisa e quem ganha com isso, claro, são os donos das referidas redes sociais. Não faço questão de defender esta ou aquela rede, até porque eu confesso nunca ter tido o saco para me cadastrar em qualquer uma delas, até que fui quase obrigado - automático - a estar inscrito no G+, pelo simples fato de eu possuir uma conta no gmail desde 2008. Quando me convidaram, logo no início, para entrar no orkut, vi um porção de perguntas - perecia até um interrogatório - que deveriam ser respondidas, para eu me credenciar na referida rede e simplesmente desisti. Eu ouvia relatos de que pessoas entravam nas páginas de outras e estas se sentiam ofendidas, pelo simples fato de que um estranho estaria vendo suas fotos, posts, comentários, enfim. Ora bolas, quem não quer ter uma vida exposta, comentada por outros, então não tenha orkut, facebook, G+, twitter, pois não terá razão para qualquer choradeira. Aqui no G+ encontro pessoas bem legais que fazem posts bem interessantes, mas é claro que também há muitos outros que não valem a pena perder seu tempo a lê-los. O que eu vejo aqui também, é uma competição de alguém querer ser popular, mas uma grande parte dos posts destes ditos "populares", são de uma infantilidade tão grande, que eu não acredito que sejam postados e, o que é pior, sejam comentados e apoiados por tantos "puxassacos", diferentemente de tantos outros posts que são bem redigidos e não há sequer um comentário. De qualquer forma, estas redes sociais aproximam as pessoas que tenham opiniões parecidas ou até divergentes, mas que também contribuem, de alguma forma, para o nosso engrandecimento.

6 de janeiro de 2012 10:37
José Márcio disse... Responder comentário

#Régis, valeu pelo comentário! Sua opinião acrescentou um visão bem interessante sobre o assunto.

6 de janeiro de 2012 10:42
Lucas Rolim disse... Responder comentário

Olá José,

Também acho isso perda de tempo. Não sei se vocês sabem mais o Google Plus daqui a um tempo vai ser obrigatoriamente usado por todos, querendo ou não, digo isso pois ele sofrerá uma integração direta com as buscas do Google.Ou seja, que deixar de criar o uma página no Google, principalmente empresas, estará perdendo muitas oportunidades.

Caso tenham curiosidade em ver como será a integração Google e G+, basta fazer uma pesquisa no Google.com (americano).Caso queriam, também podem visitar um artigo que escrevi recentemente no meu blog mostrando como criar uma página corporativa no G+.

http://www.otimizarblog.com/2011/12/como-criar-pagina-corporativa-google.html

30 de janeiro de 2012 17:35
José Márcio disse... Responder comentário

#Lucas Rolim, preferências à parte, eu gosto do Google+. Até acho que tenho mais afinidade com ele e com o twitter do que com o Facebook. Sobre a questão das páginas corporativas não sei se será de fato obrigatória, mas como você mesmo disse, quem não aderir corre o risco de ser menos visitado.

31 de janeiro de 2012 08:56
Tia Fabiane disse... Responder comentário

Mais um belo post, Zé Márcio. Concordo com as palavras do Coqueiro. Tbm relutei muito antes de aderir às redes sociais. Mas, tenho que admitir: comecei mal...rsrs Aderi primeiramente ao orkut. Mas, não suportei tanta infantilidade, exibicionismo, futilidade e, poderia até acrescentar, burrice. Realmente me cansei, rápido. Claro que não cabe a mim julgar àqueles que gostam do orkut. Como ficou claro no post acima, cada um sabe o que é melhor para si.
Então, após eliminar o orkut, descobri o facebook que, p mim, caiu muito bem.
Porém, o que realmente me interessa é meu cantinho da Educação Infantil. Lá, no meu blog, fico como o Coqueiro, bem quietinha, à mineira, falando do que sei e gosto: crianças. Nada muito elaborado, mas tudo bem real. É assim que sei fazer, é assim que sou feliz!
Abraços!!!

4 de fevereiro de 2012 17:36
José Márcio disse... Responder comentário

#Tia Fabiane, eu nunca me dei bem com o Orkut, tenho até conta mas não frequento, os motivos são os mesmos enumerados por você. Sobre o Facebook eu gosto um pouquinho mais do que o Orkut, mas não sou fã. Com relação ao seu blog, posso dizer que agora passarei a ser um usuário mais assíduo, os motivos você sabe bem, rsrsrs. Mas seu trabalho lá é muito bem feito, diga-se de passagem, parabéns!

6 de fevereiro de 2012 09:23
R disse... Responder comentário

Continuo usando o Orkut e acho uma rede social mto mais completa e interessante do que os fracos e bizarros Facebook e Google+. Por outro lado, a moda roubou 90% dos usuários do Orkut, que saíram feito patinhos para Facebook e agora Google+ tbm. É lamentável... São redes sociais pobres, sem a qualidade dos fóruns... com interface desagradável... mas a moda sempre falará mais alto. A melhor rede social hoje é o LAST.FM, contudo, ela é mais voltada para os amantes da música!

27 de fevereiro de 2012 14:14

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;