Leia também...

Leia também...
Ler e Escrever Bem Com o Auxílio dos Recursos Tecnológicos

Leia também...

Leia também...
Os Embargos Econômicos

Leia também...

Leia também...
Novo

Leia também...

Leia também...
A Liberdade de opinião é um Direito, não uma Obrigação

Google+, sociabilidade, a gente vê por aqui!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O tema rede social já é recorrente aqui nesse espaço, aliás, é um tema que gosto bastante. Frequento algumas e gosto bastante da interação proporcionada por esses serviços. É uma forma de estreitar laços com pessoas com gostos e preferências similares, ou não. Esses relacionamentos ocorrem com usuários das diversas regiões do Brasil, o que torna a coisa muito mais interessante, pois aprendemos a vivenciar outras realidades.

 

1326661202Nk34WL

 

No ano passado fiz um post sobre a nova rede social do Google: O Google+ Chegou! Acho Que Para Ficar, que agora já não é tão nova assim. No referido post eu basicamente previa que essa nova empreitada do Google, depois de muitas outras infrutíferas, tinha tudo pra dar certo. O serviço nasceu com algumas nuances interessantes que mais tarde acabaram por se concretizar.

 

É inegável o poderio e a competência técnica da Google, seus produtos são balizados na simplicidade e qualidade, isso acaba por influenciar significativamente nossas vidas fazendo da empresa uma necessidade global.

 

Para se ter uma ideia do poderio do Google, o navegador Chrome, com apenas 3 anos de vida, já e líder na América Latina e 2º colocado no mundo.

 

O navegador de internet Google Chrome, lançado há dois anos, está em sua décima quinta versão e conquistou o segundo lugar como o navegador mais usado no mundo.

A empresa de análises na Internet StatCounter afirma que o browser alcançou em outubro a primeira posição na América Latina. No Brasil, o software lidera o ranking do navegador mais usado pelos internautas. Os principais concorrentes do Chrome são o Firefox, da Mozilla, e Internet Explorer, da Microsoft. [Exame Info]

 

Podemos ver que dificilmente a Google entra em algo para perder, mesmo tendo ciência de que não existe uma guerra velada entre as diversas redes sociais existentes, é fato que o Google está investindo pesado no Google+ ou Google Plus, como queiram, integrando-o aos diversos serviços oferecidos pela empresa. As notícias recentes falam por si:

 

+ Google Plus ganha reconhecimento facil e maior integração com Gmail;

+ Google lança integração de YouTube com Google Plus;

+ Google Plus pode integrar o Blogger ao sistema!;

+ Conta Google passa a incorporar Gmail e Google+ por padrão;

 

As notícias supra mencionadas demonstram de forma clara que o Google pretende fazer o possível e o impossível para fixar o Google+ no mercado, fazendo  com que ele cresça cada vez mais. Segundo dados recentes, o Brasil é o terceiro país que mais utiliza o  Google+, perdendo somente para os Estados Unidos e a Índia. [Leia mais]

 

Outro dado revela que o Google+ é a rede social que cresceu mais rápido na história, superando todos os outros concorrentes. [Leia mais]

 

Como eu disse no post [aqui]  sobre a não guerra das redes sociais, penso que cada usuário escolhe a rede social de acordo com sua preferência e necessidade, fato que faz com que elas possam conviver de forma conjunta, com o usuário priorizando aquela que lhe seja mais conveniente em determinado momento. Particularmente tenho tido certa predileção pelo Google+ em detrimento as outras redes sociais que frequento, leia-se Twitter e Facebook.

 

Meus motivos são totalmente pessoais, mas o principal que tem me feito priorizar o Google+ é a interação. Posso estar equivocado, mas ainda tenho pra mim que as redes sociais foram criadas para facilitar a interação, apesar de muitos utilizá-las como ferramenta de negócios. Gosto de assuntos polêmicos e das discussões e opiniões interessantes sobre esses temas, as outras redes sociais que frequento já não têm me proporcionado isso. A título ilustrativo muitos usuários interessantes que frequentavam o twitter quando do meu ingresso naquele serviço, simplesmente pararam de interagir ou resolveram priorizar o envio de links. Outros tantos passaram a interagir somente com um determinado grupo de pessoas e passaram a ignorar outros contatos.

 

Acho que o usuário, blogueiro principalmente, com um pouco de esforço consegue intercalar a interação e o envio de links de seus blogs. O simples envio de links acaba tornando o perfil automatizado gerando desinteresse, pelo menos pra mim.

 

Fato é que estou aos poucos deixando de lado o Twitter, outros amigos mais antigos já fizeram o mesmo, segundo eles perderam o encanto pelo serviço. O Facebook nunca me atraiu de forma que eu me tornasse um usuário mais assíduo. Nesse meu joguinho particular das redes sociais, o Google+ conquistou pontos significativos e tem tudo pra vencer.

 

Espero sinceramente que não aconteça com Google+ o que aconteceu com twitter, no início as pessoas ali presentes buscavam a interação a todo momento, com o tempo passaram a ver o serviço como um mero divulgador de links e serviços e a interatividade foi jogada pra escanteio. Muitos dos perfis com os quais interagia quando do meu ingresso continuam ativos, porém, muitos sequer respondem uma DM.

 

Outra coisa que me irrita é a mania insaciável de alguns pra acumular seguidores nos perfis. Isso deveria ser uma coisa natural, mas não é, muitos inclusive usam de subterfúgios, como scripts para aumentar seus contatos na ilusão de que um perfil “populoso”  é sinônimo de relevância.

 

As pessoas deveriam focar as redes sociais como ferramentas de relacionamento, as experiências ali compartilhadas nos ajudam em muitas situações. Pelo menos por enquanto, o Google+ tem proporcionado mais interação do que os outros serviços. Quem  acessa as redes sociais com esse intuito e ainda não aderiu o serviço de forma efetiva, recomendo que o faço. Tem muita discussão interessante rolando por lá.

 

A quem posso interessar, pra acessar meu perfil no  G+ clique aqui

 

 

 

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Siga no Twitter [@jmpsousa].

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

3 comentários :

Maiko Gabriel Kinzel Engelke disse... Responder comentário

Aconteceu o mesmo comigo. Praticamente larguei o twitter pelo G+, e nunca necessariamente gostei do Facebook. O que eu pude notar de diferenças são:

- A inabilidade do twitter de realizar discussões. Tudo bem, você pode lançar vários posts de 140 caracteres, mas chega um hora que você se perde com quantas pessoas está falando.
- A inabilidade do facebook de apresentar pessoas interessantes, e se basear no relacionamento com pessoas próximas. O que acontece é um monte de gente mais interessada em informação reclamando que não para de receber imagens ou correntes.

Além disso, a ligação entre as pessoas é facilmente perceptível, pois no Facebook você, se você bloquear alguém, essa pessoa pode notar, e achar isso pessoal. Twitter não tem isso, mas há softwares alternativos que possuem a funcionalidade de dizer quem não está mais o seguindo.

E ainda temos o problema da mentalidade infantil de ter o máximo de seguidores possível, assim, Twitter se revela ridículo com pessoas as vezes criando posts dizendo que irão perder seguidores. Quando chegamos nesse nível, a coisa realmente tá feia.



O G+ se voltou aos círculos, comecei cedo nele e adicionei alguns círculos internacionais, e fui circulado por desconhecidos, sigo pessoas de todo o mundo, e o conteúdo não brasileiro (Que quase sempre se resume a "joguinhos" de compartilhar ou +1) é excepcional, seja ao seguir artistas que embelezam minha stream, ou nas notícias internacionais que as vezes podem ser interessantes mesmo assim.

Além disso, ainda temos um ótimo sistema de discussão, e um visualizador de imagens que tornou o G+ a ferramenta preferida pra vários fotógrafos do mundo inteiro.

E a limitação da API impossibilita a criação de ferramentas de detectar quem segue você ou não, logo, se não gostar dos posts de uma pessoa, descircule-a (Ou coloque-a num circulo que não apareça na sua stream, há esse controle também).

9 de fevereiro de 2012 10:56
Marcus Morais disse... Responder comentário

Particularmente, como sistema, prefiro mil vezes a plataforma do G+ do que a do Facebook, que me parece um tanto "1999". Mas acontece que, para mim, para o que eu gosto, é muito difícil encontrar perfis que não postem só besteiras, isso em qualquer rede social. Particularmente, eu adoro besteiras, mas de forma equilibrada com coisas úteis, que levem a uma reflexão, a uma mudança de atitudes e comportamentos, que nos faça, de alguma forma, caminhar numa direção mais salutar, pois nosso tempo é precioso e tenho a real noção de nossa responsabilidade para conosco, com o planeta e com os outros. Nada contra imagens animadas, piadas, etc, adoro, mas gostaria de ver em todas as redes, maior mobilização e engajamento em coisas que podem fazer nossas vidas mudarem, de fato. Eu reparo que se eu posto 30 coisas úteis, quase nenhuma interação é desenvolvida, mas, em apenas 10 minutos após postar uma piada ou coisa divertida, tenho mais interação que nos outros 30 conteúdos somados!
Mas, a culpa não é de nenhum sistema ou plataforma, é de seus usuários, ou, o mais provável, é minha mesmo. Tanto que não consegui ainda circular mais que 60 pessoas no G+. Obviamente, desta forma, não sou nem serei popular no G+ e também não é meu objetivo, quero apenas ver, também, interações mais úteis!

9 de fevereiro de 2012 12:26
José Márcio disse... Responder comentário

#Maiko Gabriel Kinzel Engelke, seu comentário acrescentou muito conteúdo ao post, obrigado pela participação e volte sempre!

#Marcus Morais, também penso como você, estou nas redes sociais para interagir e não pra acumular perfis.

10 de fevereiro de 2012 10:11

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;