Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Três canções pra lembrar

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Aproveitando a ideia do meu amigo Coqueiro no post anterior " Três Canções de Protesto dos Anos 80 ", como estou meio sem tempo e devendo uma publicação em "Os Invicioneiros", eis que me surgem as palavras forçando-me a falar brevemente, visto que o tempo é exíguo neste intervalo de aulas em que mais uma vez escrevo direto da Sala dos Professores. Sobre o quê? Três canções apenas para lembrar.
 
pra-lembrar


O bêbado e o equilibrista


A bela canção de João Bosco e Aldir Blanc marcou toda uma geração que sofreu sob as garras da opressão. Nas suas sutilezas poéticas, retratadas na voz de Elis Regina, Rainha Elis, inesquecível, temos o desabafo silente de um povo inteiro na imagem chapliniana dos personagens da canção.




"Canção da América"


A música de Mílton Nascimento e do Clube da Esquina completam neste 2012 40 anos do lançamento do 1º. LP da turma de Minas que embalou o mundo com canções inusitada e poeticamente belas. A voz de Mílton é simplesmente maravilhosa e "Canção da América" já embalou momentos de muitas gerações (e continuará embalando).





Chão de giz


O grande Zé Ramalho é um dos ícones da música brasileira, pela originalidade de seu som e pela poesia instigante de suas letras. E são tantas canções exemplares, que fica difícil até escolher, como também tive dificuldades com os anteriores. Mas escolhi no unidunitê a conhecida "Chão de giz", que representa bem o universo do grande Zé Ramalho, cujo show tive a oportunidade de assistir ao vivo em plenas terras invicioneiras do Cedro.




Faixas bônus


Como meu amigo Coqueiro, deixo algumas faixas bônus, que ilustram bem esse universo espetacular da MPB, cuja valorização é tão pequena por parte da mídia. Mas, como bem colocou o filósofo Coqueiro: ainda temos o direito de definir a trilha sonora de nossas vidas. Eu costumo fazer isso com meu padrão de qualidade que, modéstia à parte, se não é unânime (e nem deveria ser), é bom.

Gonzaguinha - "O que é, o que é?"



                                                Belchior- "Como nossos pais"







Sobre o Autor:
The EDN

The EDN - sou industriário, trabalho há 27 anos na Cedro (indústria têxtil centenária de Caetanópolis, MG) e atuo como professor há 24 anos em escolas particulares e públicas

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

3 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;