Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Há uma epidemia de carência afetiva no mundo virtual

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Segundo o site marisapsicologa.com não há quem possa dizer que nunca sentiu carência afetiva. Sentir falta de um abraço, uma palavra de carinho, um apoio do chefe faz parte da condição humana. O sofrimento surge quando não percebemos a possibilidade desse contato caloroso com outras pessoas. Este é o momento de questionar-se: Será que você não tem pessoas calorosas por perto ou será que elas até estão por perto mas você as está afastando?

 

coração43

 

Estamos vivendo um tempo de mudança nos relacionamentos, entra em cena as aventuras virtuais, que até bem pouco tempo nem seria cogitado em nossa sociedade. Dia desses eu perguntei numa rede social se alguém conhecia algum caso de relacionamento virtual que virado real e várias pessoas relataram que conheciam algum caso ou a própria pessoa relatou a sua experiência.

 

Interessante constatar que é possível relacionamentos saírem do mundo virtual para o real. Porém, o mais interessante é constatar que existe uma necessidade quase que fisiológica de algumas pessoas de exaltarem a sua carência no mundo virtual. Quase sempre tem alguém reclamando a falta de amor, de carinho, de companheirismo, de alguém para dividir o cobertor.

 

Não sei ao certo o motivo desse fenômeno virtual, se de fato as pessoas estão cada dia mais carentes ou se estão apenas tentando se fazer notar pra poder ganhar alguns galanteios por parte dos mais afoitos. Certo é que isso está se tornando hábito nas redes sociais, tem sempre alguém alardeando a solidão e a falta de alguém pra se relacionar.

 

A carência é nossa inimiga número um. Você já parou para pensar nas besteiras que faz por carência? Liga pra relacionamentos falidos, dá bola pra babacas ... [Tati Bernardi]

 

Já que alguns disseram ser possível encontrar alguém no mundo virtual e trazê-la pro mundo real, não custa tentar, mas alguns têm abusado, choramingando atenção numa frenesi tão grande que beira ao desespero.

 

Eu já vi muita coisa no mundo virtual, mas essa carência afetiva coletiva é algo que sempre chamou minha atenção. Muitas pessoas fazem questão de exaltar a solidão e a infelicidade nas redes sociais de forma bem explícita e quase que diariamente.

 

Engraçado é que os principais precursores desse fenômeno são as mulheres, que via de regra usam o universo virtual pra reclamar da carência afetiva. Algumas inclusive apelam pra artifícios no mínimo curiosos, como reclamar da aparência, sendo que, na maioria das vezes nem são tão desprovidas de beleza assim.

 

Segundo a psicóloga Karen Camargo, “na maioria das vezes a carência está relacionado ao medo da solidão. Muitas pessoas precisam do outro para estarem bem". Ela afirma ainda “ser normal passar por momentos de fragilidade na vida tanto na infância, quando a criança necessita dos cuidados da mãe, como também na fase adulta. O fato é que não podemos precisar do outro com tanta freqüência. "É impossível que alguém preencha nossa carência 100% do tempo. É necessário que se aprenda a lidar com a vida de uma maneira solitária. Nascemos e morreremos sós", observa.

 

Certo é que muitas pessoas depositam nas outras a esperança de serem felizes, quando na verdade a felicidade está no íntimo de cada um. Ninguém poderá te fazer feliz ou infeliz, sem o seu consentimento. O que muitos as vezes não compreendem é que não precisamos de ninguém pra nos fazer feliz, precisamos de alguém pra dividir a felicidade que sentimos. Se a pessoa não é feliz, ela não é capaz de compartilhar felicidade.

 

Nossa felicidade só depende de nós, é muito comodismo e egoísmo da nossa parte, colocar nas outras pessoas a responsabilidade por um sentimento íntimo nosso. Sigmund Freud em sua infinita sabedoria disse: A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.

 

Portanto ao invés de sair por aí procurando alguém pra ser feliz ou reclamando carência, o melhor a fazer é procurar alguém pra dividir sua felicidade. Ademais, uma pessoa feliz é muito mais atraente do que alguém taciturno que vive reclamando da vida. O mau humor e reclamação constante só afasta as pessoas.

 

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Circule no Google+.

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

1 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;