Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Aprendi tarde que Twitter não é rede social

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

 

Sempre achei o twitter o serviço diferente, aliás, sempre encontrei dificuldades em enquadrá-lo em algum termo habitualmente usado na internet. Não é de hoje que vejo alguém comentando que o twitter não é uma rede social, pois a rede social presupõe a troca de amizades intra-usuários. O Twitter e sua eterna crise de identidade. Aliás, até meados de agosto quando minha conta era usada com frequência, eu sempre busquei a interação, coisa que só agora venho saber que não faz parte das características do serviço. Pode ser que pra alguns pessoas isso não tenha a menor importãncia, mas pra mim segnifica muita coisa.

 

Auto-DM

 

 

Kevin Thau, vice-presidente de negócios e de desenvolvimento corporativo do Twitter, anunciou que a a rede de microblogging mais popular do mundo não é uma rede social. “O Twitter é para notícias. O Twitter é para conteúdo. O Twitter é para informação”, disse. [blogs.estadao.com.br]

 

Durante o I Congresso Iberoamericano sobre Redes Sociais, realizado na Espanha, a responsável pelo processo de internacionalização do Twitter, Laura I Gómez, tentou acabar com a polêmica sobre a classificação do serviço de microblogs. Segundo ela, o site é “uma rede de informações”.

“Twitter não é uma rede social, não implica ter relação entre usuários. É uma rede de informação”, disse Laura. Na ocasião, a profissional pôs em dúvida o protagonismo do Twitter na mobilização egípcia, que culminou com a destituição do presidente Hosni Mubarak, no governo por três décadas. “(...) Não é uma revolução tuiteira. É uma revolução social. Converte-nos em cidadãos do mundo”. [http://www.metagov.com.br]

 

As redes sociais, na minha concepção, são serviços criados tendo como principal característica a interação, trata-se de um ambiente de troca de conhecimentos entre os diversos usuários presentes no serviço. Verdade é que eu nunca consegui muita interação no twitter. Pra se ter uma ideia eu frequentei o serviço por aproximadamente 2 anos, período no qual eu consegui exatos 714 seguidores. No quase novel Google+, com apenas 1 ano de frequência no serviço eu já tenho mais de 10.000 pessoas me circulando.

 

Popularidade, sucesso, interação, o que mesmo você busca nas redes sociais?

 

Penso eu que a limitação de caracteres seja o principal entrave pra que o twitter seja considerado uma rede social, conforme o assunto, é praticamente impossível discutí-lo usando somente o limite de 140 caracteres. Algumas explanações, pra que se tornem claras, exigem uma número muito maior de caracteres.

 

Percebo, sem querer cuspir no prato que comi, que o twitter é um serviço muito elitista. Onde poucos usuários, que possuem mais contatos, ditam os nortes do serviço de forma bem corporativista. Não é de se estranhar que a grande maioria dos usuários dificilmente consegue algo mais do 5.000 seguidores no seu perfil. Na verdade penso que o twitter tem como principal característica a divulgação de serviços, não se configurando como uma alternativa de um canal de interação.

 

As redes sociais e a falta de interação

 

Não é atoa o twitter não pode ser considerado um concorrente de outras redes sociais como o Orkut, o Facebook ou o  Google+. Nesses serviços vê-se claramente que o principal intuito das pessoas é gerar discussão nas suas postagens. Enquanto que no twitter a principal característica é a divulgação ou repassse de conteúdo.

 

Recentemente nos site… saiu uma matéria ressaltando a queda na adesão ao twitter, provavelmente as pessoas que buscam interação estão migrando do serviço para outras que tenham essa característica, eu sou um desses casos.

 

O escritor José Saramago em 2008 sentenciou sobre o twitter: “Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres refletem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido".

 

Só tenho a lamentar o tempo que perdi no serviço tentando manter um canal de diálogo com algumas pessoas, na verdade elas não estão ali para interagir, mas para divulgar seus produtos ou serviços. Desejo vida longa ao serviço, mas reconheço que esse tipo de característica do twitter não me apetece. Quero um lugar onde a troca de informações e discussões seja possível e não apenas um canal de divulgação de algo.

 

Pra quem busca interação nas redes sociais recomendo que aderiam ao Google+, lá sim é possível manter um canal de diálogo entre as pessoas, sem limitação de caracteres e com várias opções de limitação aos conteúdos indesejáveis. No meu entender a troca de experiências é que tornam as redes sociais interessantes, a possibilidade de estreitar contatos com pessoas de diferentes regiões ou países é que me fascina.

 

Não sou muito fã do Facebook, mas isso é um questão pessoal. O que eu vejo por lá é muita gente postando mas poucas pessoas interagindo. Particularmente gosto de temas polêmicos, de discussões em alto nível sem ofensas pessoais, características que acabei encontrando no Google+.

 

Portanto é importante você analisar o que você deseja antes de aderir a um determinado serviço, pois cada um possui suas nuances, busque aquele que mais se aproxima dos seus anseios. Agindo desta forma você não corre o risco de ficar praguejando um serviço por causa do tipo de interação proporcionada ou da inutilidade e ineficiência. Lembre-se, sua rede social é exatamente aquilo que você fez dela.

 

Sobre o Autor:
José Márcio

José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Circule no Google+.

Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

4 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;