Leia também...

Leia também...
Homo Sapiens x Homo Cyber

Leia também...

Leia também...
O Humor nos Tempos do Cólera

Leia também...

Leia também...
Os 10 Mandamentos da Vida Virtual

Leia também...

Leia também...
Santos Reis

Será que vai ter Impeachment?

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

É muito claro que a presidenta Dilma e seus asseclas do partido vermelho não possuem a menor condição de governar o país, isso é fato, diante da enxurrada de notícias e números a respeito da economia.

 

dilma_abismo
O mundo mudou, a economia mundial também, mas o Brasil manteve uma polícia econômica de décadas passadas, por pura incompetência de se fazer os ajustes necessários. Sim, esses ajustes deveriam ter sido feitos há muitos anos, mas foram equivocadamente e convenientemente colocados em segundo plano. Tudo em nome de um projeto de perpetuação no poder.


Tudo de bom que o país conquistou ao longo desses anos de certa estabilidade econômica proporcionada pelo Plano Real (que foi implantado no governo Itamar Franco, pelo então ministro da fazenda Fernando Henrique Cardoso), está indo pelo ralo.


É fato, o país caminha a passos largos para o caos econômico total. Reacendendo os famigerados efeitos colaterais que pensamos já estarem extirpados do nosso convívio, como: economia frágil, inflação alta, aumentos sucessivos de preços, queda no poder de compra, desvalorização do real frente ao dólar, etc.


Na esteira desse quadro sombrio, eis que surge a proposta do impeachment da atual presidenta.


Ainda que não exista, ainda, nenhum tipo de acusação contra a presidenta, não podemos perder de vista que os escândalos recentes, sobretudo os ocorridos na Petrobras, são de natureza gravíssima.


Como foi divulgado na mídia eles não começaram agora, mas continuaram durante seu mandato, nesse hipótese teríamos 2 situações: ou ela realmente não sabia, nesse caso foi negligente, ou ela sabia e nada fez, nesse caso sendo conivente. Em qualquer uma das situações ela teria sua parcela de culpa.


Mesmo reconhecendo que são inegáveis e irrefutáveis as evidências de total incompetência, e, ainda, diante dos sucessivos escândalos de corrupção amplamente divulgados na mídia, o processo de impeachment mais atrapalha do que ajuda, explico:


O pt (com letra minúscula mesmo, pelo grau de importância) sempre se notabilizou por ser um partido de oportunistas. É muito provável que, mesmo diante das provas evidentes, eles se coloquem com vítimas de um complô da elite branca desse país para derrubá-los do poder a qualquer custo. Assim sendo, dirão que estão sofrendo uma perseguição infernal porque sempre ajudaram a classe mais pobre (uma mentira deslavada, mas que muitos acreditam).

 

Se aproveitando de tudo isso, aparece o barbudo mentiroso de 9 dedos, com suas falácias de sempre. Abrindo caminho para que ele possa voltar ao poder em 2018, o que seria, enfim, uma tragédia de proporções inimagináveis.


Diante de tudo isso, e, levando-se em consideração que a nossa presidenta, mesmo não tendo competência alguma para administrar até mesmo uma lojinha de 1,99, foi eleita democraticamente pelo voto popular. Sabe-se lá como. Mas tirá-la agora seria um erro histórico, pois o país está quebrado e qualquer outro que assumir pode levar a culpa de tê-lo jogado no buraco. Assim sendo, nada mais justo do que deixar a presidenta acabar de afundar o país, pelo menos assim estaremos enterrando junto o tal partido vermelho.

 

Sobre o Autor:
José Márcio
José Márcio - Editor Chefe dos Invicioneiros, leitor voraz e aprendiz de escritor.Tem opinião e assume os riscos Saudosista dos anos 80. E palpiteiro inveterado. Me Circule no Google+.
Feed
Gostou desse Artigo? Então deixe um comentário, assine nosso Feed ou receba os artigos por email

0 comentários :

Postar um comentário

# Antes de comentar, leia o artigo;
# Os comentários deverão ter relação com o assunto;
# Pode criticar a vontade, inclusive o blogueiro;
# Comentários ofensivos ou pessoais serão sumariamente deletados;
# As opiniões nos comentários não refletem a opinião do blog e são de inteira responsabilidade dos seus autores;